: Tô Conversando...: Setembro 2008
Bem Vindo Amigo!

| Suscríbete vía RSS

sábado, 27 de setembro de 2008

Europa 2008 – Arena Romana e Julieta

Quando chegamos a Verona fomos direto em busca da história e bem a frente foi possível encontrar a coisa mais antiga que tive a oportunidade de ver nesta viagem.

Pagamos nossos ingressos e entramos na Arena Romana de Verona e algumas coisas nos vêm à mente. Estávamos andando por corredores construídos em 30 DC, isto mesmo, 30 anos depois de cristo.
Os detalhes, a engenharia, a arquitetura do local é fantástico, além disto, o local ainda é aproveitado para eventos culturais e ainda naquela noite haveria uma apresentação da ópera Carmem.

Os trabalhos estavam acelerados para que tudo estivesse perfeito e compatível com a acústica do local.

Muita história cerca a cidade e pode acreditar estivemos em cada um deles, mas, acho que o mais conhecido para todos foi à visita a casa de Julieta aquela do Romeu. Aqui sim estava cheio, repleto, abarrotado de pessoas. Pelo nosso programa havíamos dedicado metade do dia para Verona e nossa próxima para da foi Vicenza. Aqui sentimos bastante o período de férias dos italianos, a cidade estava bem vazia e não tivemos nenhum problema para encontrar um local para dormir, inclusive ficamos em um hotel 4 estrelas a preço de 2 estrelas.
Depois de instalados fomos para a cidade velha aproveitar o restante do dia e da noite para conhecer mais um pouco da história italiana, afinal de contas no dia seguinte iríamos para Veneza.

























Até Veneza...

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Europa 2008 – Agora sim, Itália

Nosso próximo destino foi Bergamo e quando chegamos a cidade fomos direto a cidade velha.

Mais uma vez estava sentindo a história fluindo por todos os lados, era muito claro para as muralhas, as ruas calçadas por pedras, prédios antigos e o ar medieval. Se as pessoas trocassem as roupas eu poderia jurar que havia sido transportado para centenas de anos atrás.

Caminhamos muito porque a história pedia e lá foi o meu primeiro gelato italiano (sorvete). Sem medo de errar posso dizer que qualquer um que estiver lá irá gostar muito.

As vezes ficava difícil coordenar o roteiro e a programação as maravilhas que estávamos vendo. O grande segredo é acordar cedo, andar muito e respeitar o planejamento para não comprometer a viagem com um todo.

Aproveitamos as maravilhas e a beleza do local para almoçarmos por lá mesmo. Nosso próximo destino era Sirmeone.

Ah, Sirmeone!

Sirmione fica as margens do Lago di Garda e se eu fosse você procuraria mais informações na internet.

Castelo, águas verdes, oliveiras, gente bonita e praia.

Também uma cidade muito antiga com suas vielas, becos e passagens. A melhor forma de explicar este lugar é postando as fotos.

Como vocês podem ver fiquei apaixonado por este lugar.




















































Até a próxima....

domingo, 21 de setembro de 2008

Europa 2008 - Quase Itália

A chuva na noite anterior estava bastante forte, mas, duas coisas aproveitamos para fazer na Suíça. A primeira foi jantar um maravilhoso Fondue e a segunda foi sair se esquivando dos pingos e paramos no Olímpo dos chocolates.

Encontramos uma chocolataria com coisas maravilhosas, você podia escolher o pedaço do tamanho que desejasse e era só pagar por peso. Experimentei vários.

Amanhecemos com o tempo nublado e uma garoa forte, mas, nosso destino naquele dia era Locarno ainda na Suíça. Colocamos nosso destino no GPS e optamos pelo caminho mais rápido.

Nosso caminho estava maravilhoso, pois, a paisagem como sempre era deslumbrante e percebemos que estávamos subindo a montanha e cada vez mais a estrada ficava sinuosa e estreita. Quanto mais próximo do topo mais espessa era a neblina, estávamos andando por volta de 20 Km/h e a visibilidade estava por volta de 5 ou 6 metros.

Subindo, subindo, subindo e de repente começamos a perceber que o acostamento estava repleto de neve. Às vezes cruzávamos com algum carro no sentido contrario, estávamos preocupados, pois, além de não enxergar o problema estava aumentando com a neve e dirigir com neve requer uma experiência que não temos.

Felizmente não precisamos dirigir na neve, percebemos que após andarmos no plano por algum tempo iniciamos a descida. Quanto mais descíamos mais o tempo abria e quando chegamos à auto-estrada o sol estava a pico.

Estávamos andando bem na estrada e de repente o transito começou a parar, de onde estávamos era possível olhar um semáforo na entrada de um túnel que estava vermelho, acho que ficamos parado na estrada por volta de 20 ou 30 minutos.

Pelas estradas européias que passamos a concessionária coloca placas informando para que você sintonize aquela rádio, é uma rádio normal como as outras a única diferença é que se há necessidade de se avisar os motoristas de algo importante eles interrompem a programação e fornecem a informação. Aproveitamos para sintonizar na rádio e descobrimos que estávamos parados para aliviar o trânsito das cidades à frente.

Após liberação chegamos logo a Locarno que fica as margens do Lago Maggiore, mesmo com sol havia uma certa neblina e o tempo não estava completamente aberto.

A cidade fica distribuída pelas montanhas e é cheia de sobe e desce, almoçamos e fomos à busca de um local para dormirmos. Depois de instalados fomos visitar os pontos turísticos da cidade.

A noite o mais interessante foi jantar nossa primeira pizza, uma massa bem fina e bem leve a única coisa é que era individual, isto mesmo, pizza individual.

Como estávamos na fronteira italiana a pizza já respeitava os padrões italianos que determina que a pizza deve ter 32 centímetros.

Isto mesmo, mas, dá para comer tranqüilo...

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Europa 2008 – Caminho para a Suíça

Não adianta aqui ficar falando das estradas que não é o que interessa, mesmo as paisagens sendo maravilhosas o asfalto impecável.

O que importa na verdade é que chegamos a Kontanz e foi de uma forma muito legal, pelo lago.

Atravessamos o lago de Konstanz com o carro nas barcas que fazem este serviço. O cenário era maravilhoso, o sol refletia nas águas claras nos obrigando a usar óculos escuros, o vento morno aquecia nossos corpos tornando a viagem mais prazerosa.

O verão em minha opinião é uma estação maravilhosa e estávamos podendo comprovar isto naquele instante, o lago estava repleto de lanchas e veleiros, nas margens as pessoas aproveitavam o sol para se bronzear.

Estávamos em uma cidade de veraneio em final de verão e mesmo assim tivemos certa dificuldade em encontrar um hotel para o pernoite. Saímos um pouco do centro as coisas ficaram mais fáceis, neste ponto o carro ajuda bastante.

Aqui a coisa mais engraçada é que a cada rua que entravamos procurando um hotel nos deparávamos com a fronteira suíça.

Após nos instalarmos saímos ainda com sol para caminhar e conhecer um pouco de história e jantarmos. Fomos contemplados com um nascer maravilhoso da lua que refletia sua imagem no lago, parecia a lua ser a fonte geradora das águas do lago.

Pulando novamente a estrada...

Chegamos a Lucerna na Suíça e partimos para a caminha e os pontos turísticos, a cidade é maravilhosa e cheia de muita história e a coisa que me marcou bastante é que a cidade é cortada pelo rio Reuss e você olhando as aguas é possívek ver o fundo e os peixes. Estive em Lucerna a quase 15 anos atrás e o rio continua desta mesma forma, apesar do crescimento nada mudou, prova que é possível a existencia do desenvolvimento e o respeito a natureza.

Visitamos igrejas, castelo, pontos turisticos, o centro histórico, o mercado de frutas, verduras, verduras e peixe (uma feira) e tudo que o guia de Lucerna recomendava.

Após um maravilhoso almoço a beira do rio seguimos caminho para Interlaken onde dormiríamos naquela noite.

Uma das grandes vantagens é que as distâncias são relativamente curtas e feitas por estradas fantásticas.

Durante o caminho as paisagens que se seguiam eram aquelas que a gente só vê aqui em quebra-cabeças. Uma diferença notada aqui foram os túneis gigantes que passavam por dentro das montanhas.

Interlakem é um lugar maravilhoso e como o próprio nome diz fica entre dois lagos, escolhemos o local pela beleza natural e o único inconveniente é que ao final da tarde começou a chover e não parou até a manhã seguinte.

Nada que pudesse atrapalhar nossa viagem...

Pequena amostra

Hoje vai ser diferente...










domingo, 14 de setembro de 2008

Castelos, castelos e castelos

Schwangau é o nome da pequena cidade alemã onde está o mais famoso castelo alemão e um dos mais famosos do mundo, o Schloss Neuschwanstein (castelo ou palácio Neuschwanstein, "novo cisne de pedra"). Além deste você encontra o Schloss Hohenschwangau (Castelo do Grande Condado do Cisne).

Só para você entender uma pequena história destes castelos.

O Ludwig II passou sua infancia em Hohenschwangau construiu inspirado na ópera Lohengrin,de seu amigo e protegido, o grande compositor Richard Wagner..Outros dizem que foi para mostrar que sua grandiosidade era muito maior que a do seu pai, se você olhar pela janela dos aposentos reais do Schloss Hohenschwangau terá a vista perfeita do o Schloss Neuschwanstein.

Eu ainda ao sabia, mas, a maratona das caminhas se iniciava hoje.

Como os dois castelos são muito próximos os ingressos são vendidos em conjunto, sendo assim compramos o duplo e fomos nós. O primeiro seria o Hohenschwangau porque o outro tinhos horário marcado.

Uma das formas de se defender era contruir os castelos no alto e a primeira subidinha foi uma caminhada de 20 minutos em um ritimo bom.Vou confessar que fiquei um pouco cansado, mas, o dia só havia começado.

Fizemos a visita guiada e conhecemos todas as histórias do castelo e dos acontecimentos da familia real.

Antes da subida haviamos combinado que a ida para Schloss Neuschwanstein seria de carruagem, isto mesmo, existem várias que fazem o serviço de leva e trás dos turistas. Já na descida o Hohenschwangau ví que a casa havia caido, a fila de espera das carruagens era muito grande e em um momento de sandice resolvemos caminhar até o castelo.

Gente, foram os 45 minutos mais longos e desgatantes da minha vida até aquele monte. Lógico que valeu a pena quando chegamos ao castelo, mas, vá de carruagem.

Nosso dia terminou em Konstanz na fronteira com a suiça e um nascer de lua maravilhoso.

Até a Suiça.

terça-feira, 9 de setembro de 2008

Neve e Castelos, Castelos de Neve.

No dia anterior ainda havíamos visitado o Castelo Linderhof que era um dos locais que Ludwig II gostava de passear.

Agora sim, na manhã seguinte partimos para Garmisch-Partenkirchen onde iríamos visitar o Zugspitze, aqui cabe um pequenino parêntese para orientar o leitor (com 2964 metros de altitude a montanha faz fronteira com a Áustria).

No caminho paramos no mosteiro beneditino de Ettal, no dia anterior simplesmente havia sido impossível parar o carro, quanto mais entrar no local.

Chegamos cedo e ninguém ainda havia chegado, tivemos o mosteiro todinho para podermos caminhar, fotografar e contemplar.

Aquele ainda era só o inicio do dia, programamos no GPS Garmisch-Partenkirchen e quanto mais próximo chegávamos mais próximo estava a neve. Quando saímos do hotel pela manhã já havíamos nos preparado para o frio levando roupas extras.

Para se chegar ao topo um “trenzinho” nos leva até lá, mas, a paisagem que nos acompanha durante todo o percurso é maravilhosa e eu tive a oportunidade de conhecer este caminho com neve desde a base e sem, para resumir, maravilhoso.

Lá em cima muita neve e a temperatura girava em torno de 5 ou 6 graus, infelizmente haviam muitas nuvens e a visibilidade não era tão ampla.

Nós aqui no Brasil estamos acostumados com praia e muito sol e por isso não temos a dimensão do que é ficar caminhando na neve.

Quando retornamos a base já estava na hora do almoço e aproveitamos, para depois seguir viagem.

Nossa próxima parada seria o Schloss Neuschwanstein (castelo ou palácio Neuschwanstein, "novo cisne de pedra") o pessoal costuma dizer que Walt Disney aproveito este castelo colocou mais uma torre e transformou no castelo da Cinderela.

Chegamos ao final da tarde e resolvemos procurar um lugar para ficar e deixar a visita para a manhã seguinte. Com final de semana, feriado e final de férias não foi fácil encontrar um local.

Encontramos uma pensão muito familiar e houve duas surpresas, a primeira foi a ducha no quarto, isto mesmo, somente ducha no quarto e o interessante é que esta ficava embaixo de uma escada e tínhamos que tomar cuidado para não bater a cabeça. A outra surpresa foi quando abrimos a porta da varanda do quarto, podíamos ver os dois castelos ao entardecer.

Dois castelos? Como assim? Não era um só?

Isso mesmo! Dois.

Explico no próximo post...

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Oberammergau

Depois da viagem, muita chuva, cerveja e muito sono, acordamos na manhã seguinte voltamos ao aeroporto para pegar nosso carro.

Resolvemos não pegar no dia anterior para que pudéssemos descansar após nossa viagem.

Fomos para a estação “pegar” o metrô e a cidade nem parecia a mesma, sol, pessoas, lojas e a vida retornava a cidade naquela manhã..

Já havia ido à Alemanha em outra oportunidade e sabia que a tarefa não seria fácil (coloco uma foto para vocês entenderem).

Após um tempo de fila conseguimos nosso carro, o primeiro passo foi programar a Maria (nosso GPS com voz de mulher e português de Portugal) e seguir viagem.

Fui o sorteado para iniciar a viagem e tínhamos como destino Oberammergau, mais ou menos 100 Km.. Talvez a viagem fosse mais rápida se não houvesse um tempo grande de adaptação para se entender o que ela queria.

“Prepare se para manter a esquerda na i9ntesecção.”, isto quer dizer, não faça nada e permaneça na estrada,

Chegamos a cidade e após 12 anos foi como se houvesse saído de lá há apenas uma semana. Procuramos a mesma pensão em que havia ficado anteriormente e tudo estava do mesmo jeito, foi como voltar no tempo.

Fomos almoçar e fizemos uma caminhada pela cidade, pois, estavam fazendo um mercado das pulgas, vendendo coisas que não interessavam mais..

Caminhamos bastante e resolvemos retornar a pensão para tomar um banho descansar um pouco e jantar.

Marcamos nosso jantar para as 19h30min, o frio era forte, por volta de 6 graus.

Muito interessante, resolvemos voltar as ruas onde estava ocorrendo a festa e comer por lá mesmo. Não havia mais festa e os restaurantes da cidade já haviam fechado, abertos apenas cafés e sorveterias.

Depois de caminhar bastante encontramos um restaurante praticamente fechando e o dono na porta avisou que a cozinha havia fechado e que havia comida fria.

Como quem não tem cão caça com gato encaramos assim mesmo.

No dia seguinte fomos para a neve, mas, até a próxima pessoal.






















quinta-feira, 4 de setembro de 2008

A Chegada

Após 12 horas de vôo e 5 horas a mais no fuso horário desembarcamos no aeroporto de Munique.

Tentei de todas as formas dormir, mas, como saímos do Brasil ao meio dia foi quase impossível. Conclusão, as 05:30 da manhã de lá era meia noite e meia aqui.

Três agravantes para completar, quando saímos daqui esperávamos um só:
- Nossa diária no hotel iniciava as 15 horas (essa era a esperada);
- Chovia muito e choveu o dia todo;
- Era feriado de Nossa Senhora.

Na cidade somente turistas caminhando na chuva.

Decidimos não dormir, seria uma forma de acertar o fuso mais rapidamente.

A coisa mais interessante neste dia além das visitas e da cultura diferente aconteceu ao fim do dia.

Munique é famosa por muitas coisas, mas, a cerveja e o futebol do Bayern extrapolam tudo. Pois bem, era dia de jogo do Bayern contra o Hamburgo e de repente a cidade e os bares começaram a encher muita bebida, muita musica muito policiamento e nada de confusão.

Grande prova de que torcedores de times diferentes podem conviver juntos.

Na manhã seguinte o sol se fez!

Até o próximo encontro.









Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

BlogPlay

Share your links easily.